quarta-feira, 13 de maio de 2009

Desconexões II.


Existem os fusos horários que são a diferença de horas a mais ou a menos do lugar onde estou. O lugar onde estou é sempre minha referência. Hoje não estou tão certa de onde estou nem o que ser. Gostaria de estar em todos os lugares menos aqui. Mas qual seria a parte 'todos' dos 'lugares'? Realmente eu não tenho noção. Será que se estivesse em outro lugar ou em outra pele estaria pensando no que estou pensando agora? A hora marcada no relógio varia de acordo com os fusos, mas o tempo dança no mesmo compasso para tudo que existe em qualquer lugar.Injustiça.Se o homem pode estar num lugar mais cedo ou mais tarde, por que não se pode contar o tempo mais rápido ou mais devagar? Se me lembro bem ontem vivi um dia de 24 horas, e as horas saltitaram num piscar de olhos. Cada segundo tinha razão, sentimento, sentido e preenchimento. Hoje é um dia de 24 horas, como ontem. Ando pela casa, escrevo, leio, assisto, converso, como, respiro e o tempo passa arrastado. Nenhum segundo tem razão, nem sentido, nem sentimento e nem preenchimento. A isso tudo chamo de tédio, e não há o que se faezr com ele. O homem inventou tanta coisa bacana, mas não entendo porque ainda não inventou uma caixinha para guardar o tédio. Qual o tamanho, o peso, a natureza disso? O tédio te anestesia.Você quer gritar e não consegue. Quer chorar e não consegue. Quer agir e não consegue. O tédio é o atalho mais curto para o pessimismo e para a confusão. E de confusão ... eu entendo, alimento e dou aula muito bem. É nesses dias que eu arrumo fios que não sei de onde saem para me enrolar. Fico mais embaraçada que um nó cego, um gatinho travesso num novelo de lã, ou que os fones do meu MP4. Não sei se fico, se vou, se páro, se penso, se mudo, se desisto, se luto ... Não sei de nada e cada resposta que atrevo a meter meu nariz puxo ainda aqueles fios repletos de " e se", "talvez" e "quando" para ficar completamente sem saída. No fim do dia minha cabeça dói. Surto. Insônia. Loucura. O tédio é viciado nas perguntas sem resposta. Não me arrependo de nem uma merda, erro, glória que fiz. Se me perguntarem do que me arrependo, eu direi que me arrependo dos dias de tédio. Dos dias de cor creme.

2 comentários:

primaverasdesetembro disse...

Aaahh cara..
eu surto muito igualzinho você.
faço estrago, não durmo..afinal o que se há de mudar se nada com nada se manifesta?
hum.."Tédio esse é o meu drama!"
gostei daqui, muito!
flores.

Talita Confusão! disse...

Aloha... muito obrigada pela sua participação...

o tédio é mesmo um poço fundo que quando a gnt percebe onde está já está afundado demais nas suas águas... Mas daí lhe pergunto: você sabe nadar? Temos os músculos, as heranças, as escolas... pra sair do poço é preciso mobilizar uma série de coisas, fazer grande esforço lutar contra fantasmas de nós mesmos ...

e encontrar o caminho. Vamos tentar nadar?