quinta-feira, 18 de junho de 2009

Sobre meus ovários.


Sim, ainda tenho dois e nunca vi como eles são. Só fui ao ginecologista uma vez, e isso é arriscado... Ou não. Afinal “quem procura acha”. Mas existe ainda a possibilidade que se eu procurasse um especialista talvez eles não berrassem tanto assim comigo, me fazendo brinquedo. Um deles é problemático, jurava. Inchaço. Irritabilidade. Sensibilidade extrema. Reações impulsivas. Confusão ( pra variar). Perguntas sem resposta. E daí? Era totalmente suportável, afinal a mulher ovula apenas com um ovário a cada mês. Mês sim, mês não. No limite, mas suportável. E tem a insônia e a mudança de paladar também, que vem de brinde. Mas agora... Adivinhem! São os dois ovários! Todo mês a mesma coisa, e daí vêm à tona meu medo de enlouquecer, e até hoje não descobri a chave que me segura no campo da sanidade. Dois... esse número me faz rir. Pode ser benção e acidente ao mesmo tempo. Dois: paz e amor; bom e mau; certo e errado. Par, complemento, ying yang. Duas metades que se encaixam. Equilíbrio, metade, raiz das metades, dos dobros, das divisões, das somas, das multiplicações. Amor. Amizade. Carta alta. Faixa de CD. Anos. Tempo. Base dos sessenta, dos segundos, das horas. Dois caminhos, os de sempre. A escolha. Dois ovários. Culpados. Dois que divide os 50% de chances de cada escolha sua dar certo. Meu coração andando em duas metades, e não... não é a famosa parte minha e de outra pessoa. São duas metades de duas pessoas distintas mesmo dentro de uma pessoa inteira: eu. Deve ser mal de canceriano. Minha euforia, minha forma quente de viver estava numa juventude impressionante quando essas duas metades se interligavam dentro de mim, como almas gêmeas. É possível amar duas pessoas ao mesmo tempo? Perguntei muito isso por aí, e só ouvi duas respostas SIM em toda a pesquisa, uma amiga e eu claro ( que fiz a pesquisa pra saber qual grau de minhas alucinações atualmente, e tem se agravado) -ambas de câncer-. Ouvi que isso é apenas mais uma de minhas confusões tentando camuflar minha imparcialidade, maneira desgraçada de andar no muro, indecisão. Ou que é apenas um pretexto pro meu desejo íntimo de revolucionar a sociedade pregando a orgia e destruindo a unidade familiar baseada na monogamia. Enfim, as pessoas dizem... como sempre: dizem, acham e tem sempre um idiota que houve, que pede opinião, que chama. Mas do que sinto só eu mesma saberei e eu amo duas pessoas ao mesmo tempo, na verdade eu amo várias, mas aqui estou falando de paixão. Amo uma metade oposta à outra. Amo o gosto real, que vi, senti, cheirei, beijei e toquei.Concreto. Amo uma metade que antes chamaria de irreal, sonho mas que na verdade é tão real quanto à que eu já vivi. Trata-se de vidas envolvidas, e não importa toda história que foi construída pela imaginação, pois foi vivida como algo fisicamente possível. Abstrato. Frio. Dizem na bíblia que não devemos viver de forma morna. E enquanto essas duas metades existiam sem se tocar dentro de mim, eu estava quente. Mas elas se tocaram. Mudaram as peças de lugar, porque partes opostas que entram em atrito, causam deformações nos corpos envolvidos. E o que é o amor? Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. Não se regozija com a injustiça, mas com a verdade.Não busca seus próprios interesses. É sofredor, é benigno. Quem ama quer o bem do ser amado. Mas quando se amam dois seres, no fim o rio desemboca naquela coisa odiosa chamada ‘escolha’. Não pela responsabilidade que essa palavra carrega na bagagem, mas pelo caráter banal que ela impõe aos sentimentos e ás pessoas. Escolha: vai querer café com leite ou toddy? Que incômodo! Uma vez escolhida há conseqüências. Numa escolha deve-se comportar como um vidente, pois tenho plena conseqüência que essa minha confusão é um canivete afiado que sempre deixará feridos. É possível sentir amor por duas pessoas ao mesmo tempo sim, mas viver os dois é impossível, a menos que as partes injetem diariamente altas doses de morfina. Num futuro... Quem machucarei mais? Abstrair-se do egoísmo é fundamental. E um libriano é irredutível. Escolhas fecham as portas e, por ser amor traz a dor, recompensada pelo bem de ver quem se ama bem. Meus ovários me deixam sensíveis e estou com tensão pré-menstrual. Escolha. Trajeto novo, eu não esperava. O que fazer? Não sei. Julho chegou e tudo mudou?. Quem sabe daqui a três dias terei essa resposta comigo, e essas dúvidas e dores, se esvaem. Como o sangue que jorra no cio e prepara a mulher para novos tempos de possível fertilidade? Por hoje, só quero dormir.

Um comentário:

Fermata disse...

Acredito que amar duas pessoas ao mesmo tempo, seja impossivel aos limites humanos, mas em fim, se apaixonar por duas, tres... talvez sim. Paixao é tao facil de se pegar qnt uma gripe. E olha que eu sei do estou falando, nao sei!? Mas o amor é bem mais forte que isso e quem ama de verdade (disso eu posso dizer sem medo de errar) nunca tera q fazer escolhas... estara sempre no caminho certo.

Beijos super grandes pra vc, amore!
e saiba q eu te amo e to sempre do
seu lado, pro q der e vier.