sábado, 24 de janeiro de 2009

... a juventude é uma banda numa propaganda de refrigerantes ...


Queijo com goiabada, café com leite, arroz com feijão, Romeu com Julieta ... a química inegável entre dois elementos se mostra na forma desses clichés e não pode ser negada, visto que as partes envolvidas encaixam-se perfeitamente entre si, sem sobreposições, preenchem-se com liberdade absoluta de serem feitos para essa reciprocidade que desconheço a raiz. Essa raiz recíproca com certeza não existe entre Ernesto "Che" Guevara e Talita Confusão. Desde que me apaixonei por história e entendi seu real valor, vago pelo mundo enfiando a cabeça em debates, e livros, e teorias sensacionalistas que defendem a qualquer custo a face de herói de Che, até hoje não encontrei justificativa palpável que me enfie na cabeça que estou errada a não aderir ao 'Guevarismo'. Acho mesmo que a única justificativa para o rosto desse homem estar em tantas camisetas, tatuagens, pôsteres ... é um coquetel da falta de heróis ( divulgados ) latino-amerianos, com uma pitada de ignorância nativa e o catolicismo com seus ídolos. Eu aceitaria Che como herói se este fosse visto (aqui) com o conceito europeu do que é ser herói. Na Europa, a palavra herói define um homem ( com defeitos e qualidades à mostra), ou uma ideologia por trás de homens, ou ações que essa ideologia promoveu. Estar diante de um herói, na europa, é estar diante de alguém que se admira, com seus defeitos e qualidades, conhecendo e perpetuando a idéia que não morre com o homem, e não usar disso para fazer dele um comércio. Outro fato interessante é que lá há democracia de heróis, ou seja, temos(por exemplo) Joana D'ark, Alexandre, Napoleão, Hitler ... uma variedade democrática de rostos, idéias e métodos diferentes em que se é livre para escolher quem admirar. E o que explica essa variedade de heróis? tirando a parte européia que colonizou o Brasil, os demais países negaram o ócio monárquico e passaram a trabalhar com seus próprios braços, sem condições territoriais favoráveis foram obrigados a pensar e lutar para que seu canto sobrevivesse, sem sensacionalismos, e a partir de sua criatividade inventaram o homem que pensa e disseram não ao homem gordo dos banquetes lusitanos infindáveis, e hoje por lá, como herança do NEG-ÓCIO, o protesto, o grito e a revolução passa aser rotina, direito e dever. Já na América Latina a concepção de herói ultrapassa os limites da admiração e passa a entrar no campo religioso, atinge o status de santo, endeusado com perfeição absoluta, mesmo que a maioria que estampe o rosto de Che na camiseta não saiba nem o que ele defendia ou o que ele fez, mas a face já é moda, é atrativo, é comércio, é lucro, é popular, é bonito fingir ser politizado. Che seria um messias para os latinos e por isso, sobre-humanamente não contestável, sem defeitos, sem erros ... e lá se vai a cegueira geral ... Aqui não há grande variedade de heróis divulgados cujas razões não vem ao caso mas se resumem em a pseudo-liberdade das ex-colônias. Che é o ópio que nos permite fantasiar que somos seres ativos nas decisões do mundo e que existe vestígio patriótico em nosso meio. Não conheci Che, óbvio, não sei como era sua pessoa, deixo claro aqui que desconheço essa realidade e que o que eu odeio é o Che-mito que é apenas um rosto estampado numa camiseta. Che foi um homem que não acreditava em revolução sem violência, tinha asma, era médico, trabalhou num leprosário no Peru, foi aventureiro, defendia a tortura e a ditadura, defendia a guerra biológica,trabalhava muito estudava muito, etc ... Eu amaria Che se, apesar de sua morte, seus ideias ainda estivessem vivos , se meus conterrâneos não fossem tão ufanistas (cegos) e não tivessem preguiça a ponto de passar dias inteiros em frente a uma televisão, com a bunda pregada em um sofá quando há corrupção e miséria em seu país.

2 comentários:

.RTA disse...

Sem discuções, ou tentando dizer que você esta certa.
Bandeira branca.
Mas não dou o braço a torcer, senão não seria a Ramona. ;)

Fermata disse...

é... eu até gosto do Che... mas como vc falo, fizeram uma imagem dele, sei la, de mais um monte de gente. A juventude de hoje realmente ta carente de herois. Por isso eu tenho os meus, so meus.

beijo =**
amovc