domingo, 15 de fevereiro de 2009








Era uma vez o coraçãozinho do chão de algodão doce queimado ignorante numa tal de felicidade. Era uma vez, nessa terra de doçura, a coisa que se chamava certo e a outra coisa que se chamava errado. Certo e errado eram peregrinos absolutos e sem raiz que viviam guerreando pelo controle do coraçãozinho. O império foi duradouro, mas o coraçãozinho esperava seu Messias. era uma vez um tal de amor, que era a terceira coisa escondida. O amor chegou ao coração crescido e queimado ... e foi quando o certo e o errado passaram como se nunca tivessem existido. Coraçãozinho virou acrobata.

























(Para Aline)


Um comentário:

tamires disse...

Ain maninha esse texto ficou tão simples,tão bonito e tão romantico...ameiii esse texto,axo que caiu na hr certa na minha vida...se é que tu me entende ;D...
bjuh
te amoo